Rss

Gorjeio

Viral.

Se me pedissem para definir o twitter em no máximo 140 caracteres, essa seria a minha resposta (sim, sou econômico). Ele é o atual representante maior da viralidade, da dinamicidade, da pressa e da impaciência da internet. É realmente uma revolução nos meios de comunicação… Mas… Eu ainda tenho dificuldades em entender por que deu certo.

Se me apresentassem a idéia do twitter (antes dele existir, lógico), eu a acharia ridícula. Pessoas mandando mensagens curtas, e, quem quisesse acompanhar as mensagens curtas dessas pessoas, as seguiriam. Que coisa inútil. Os meios já existentes, como blogs, sites de relacionamento e Instant Messengers, já davam pro gasto – não que fizessem a mesma coisa que o twitter, mas tornavam o twitter redundante. Pensando assim, eu estaria certamente ignorando dois fatores cruciais para a atual importância do twitter:

1 – Dinamizar e agilizar o contato com notícias, podendo-se não só obtê-las em sua página inicial, vindo dos mais variados jornais nas mais variadas línguas, como também ser informado delas através de outras pessoas.

2 – Proporcionar maior proximidade entre celebridades e público. Eu diria até que esse é o “ganha pão” do twitter. Se não houvesse celebridades loucas para serem “seguidas” e dispostas a fazer muitas coisas para isso, o twitter não seria tão grande como é hoje, talvez nem digno de atenção.

Apesar desses motivos, não consigo deixar de pensar que o twitter é apenas uma febre. Talvez isso seja mais meu desejo do que a minha opinião realista. Como falei, o twitter revolucionou a comunicação, uma revolução sutil e ao mesmo tempo brusca demais… Não houve tempo de pensá-la e discutí-la, ela simplesmente aconteceu e ainda está acontecendo, e qualquer conclusão que tiremos sobre ela, a essa altura, não irá detê-la. Não houve tempo de perguntar se é uma revolução boa…

Numa época onde as pessoas estão se tornando cada vez mais anti-sociais, tendo relações cada vez mais curtas e superficiais com as outras pessoas e até com o mundo, o twitter surge para dar corda a essas pessoas, a essa maneira de interagir com os outros. Não é só porque uma criança gosta de chocolates que você vai começar a dar chocolates a ela o tempo inteiro, não a fará bem… Mas infelizmente esse é um dos mandamentos de quem quer fazer sucesso na nossa sociedade consumista e impaciente por chocolate. E é justamente isso o que o twitter faz (e quem há de culpá-lo?), só não houve tempo de apurar se o chocolate do twitter é saudável, ou se agilizará o processo (inevitável?) de minimalização, embora multiplicação, das relações humanas (a diabetes da sociedade pós-industrial?).

A propósito, meu twitter xD.

Previous Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *